domingo, 26 de abril de 2009

Cegos




Brigas bregas que ceguem as rimas
Furo nos olhos com um toque leve
Insetos atentos a senhores vivos
Fuso que em sexta feira afronta
Em frente as formas que atinam
Romances insertos e tolos pares
Lutas vulgares chutando embalde
Fruta que morde sem comer pecados
Sem meter entre dentes e água
Honra que lava a mágoa
Noites de cancer
Sem comida
Paredes de lodo
Bebida que é lama
Cheiro que expele chamas
Explosões de tetos de ansia
Cobertas de madeira e po de vidro
Trespassando ou ficando leves
Disputas por todos os cantos
Poucos encantos deixados de lado
Todos que agem certo buscando tão retos
Sem se ocupar em cavar os restos tão eretos
Berços tão honestos de almas não paridas
Corrida pela chance de tomar partido
Partindo os crânios e atos ofensivos
Guerra de xadrez por qualquer dama
Segredos de ópio do povo orando
Ora se matando pela conquista
Afeto que mataborrão na cor
e sai sem deixar pista

Será que ela não prefere...

Um comentário:

Kamikaze Kiwi disse...

Uai, será q eu entendi...
Mas achei perfeito!! Linda forma!

Aí o link do Pit:http://subvivente.blogspot.com/


Bjs mon chèr diable.