quinta-feira, 16 de abril de 2009

Progresso



Como se fosse um cometa
Tempestade de trombetas
Pulmões e vozes em expiração

Como se fosse uma letra
Na sagacidade de ruas cegas
Em um desamparo opera a solução

Saltando os olhos fusão de deixar
ser sóbrio nos altos é difícil
enquanto paira a poeira

Que dispara bomba H
mísseis disfarçados
cortando trilhos

Naves escarnecem
levando cansaço
contorcem sem nexo

O será?

2 comentários:

Mariana Bizinotto disse...

Achei muito interessante a forma como constroe seus poemas!
As analogias...
Os jogos de palavras... e sen-tidos!
Parabéns!
Também vou acompanhar o seu blog... gostei demais!
:)

Kamikaze Kiwi disse...

Corazon, coloquei a chapeuzinho e o Lobo no meu blog, eu te mandaria, mas vc num tem e-mail e tal... Olha lá se num é legal!!!

Hasta